Ao continuar a usar o flysaa.com, você concorda com os Termos e Condições do site, com a Política de Privacidade e com o Uso de cookies enquanto usa o site.

De Joanesburgo, o hub da SAA, companhia aérea nacional da África do Sul voa para mais de 35 destinos na África, Oriente Médio, Ásia, Europa, Austrália e América do Norte e do Sul. Desde nosso primeiro voo em fevereiro de 1934, demos as boas-vindas ao mundo abrindo o coração generoso e amável do país.

Tornamo-nos uma companhia aérea global cuja excelência - 14 prêmios Skytrax de melhor companhia aérea da África e primeira companhia aérea 4 estrelas da África - foi construída com base na dedicação à excelência e à receptividade à inovação.

Ser a melhor companhia aérea da África não é algo que acontece da noite para o dia. Temos mais de 80 anos de excelência e inovação em nosso histórico. Aqui estão algumas das inovações que nos diferenciam ao longo das oito décadas em que levamos a África ao mundo:

1930

A South African Airways inicia suas operações em 01 de fevereiro de 1934, quando o governo sul-africano assumiu os ativos e passivos da Union Airways. A companhia aérea foi renomeada de South African Airways (SAA) e ficou sob o controle do departamento de administração de Ferrovias e Portos da África do Sul.

Em 01 de novembro de 1934, a SAA apresentou o Junkers Ju 52/3m, a primeira aeronave multimotor, em seus destinos nacionais. Durante a década de 1930, a companhia aérea adquiriu cada vez mais aviões, incluindo o primeiro Junkers Ju 86s de 10 assentos, o DC-3s, o Constellation L-749As, o Lockheed Lodestar, o DC-7Bs Vickers Viscounts e o Boeing 707.

1940

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) foi fundada em Havana em abril de 1945 e a SAA tornou-se um dos membros fundadores ativos.

Em novembro de 1945, a SAA apresentou o serviço Springbok, seu primeiro serviço intercontinental. O voo decolou de Palmietfontein, com escalas em Nairóbi, Khartoum, Cairo, Castel Benito e Bournemouth, e levou 34 horas.

A SAA modernizou o serviço e o entretenimento a bordo com aeromoças em voos domésticos e um cinema no serviço direto entre Joanesburgo e a Cidade do Cabo.

1950

A abertura oficial do Aeroporto Internacional Jan Smuts aconteceu em Kempton Park em 17 de abril de 1952. Em 1953, um BOAC Comet operado pela SAA decolou de Joanesburgo com destino a Londres, tornando-se a primeira companhia aérea fora do Reino Unido a operar um avião a jato.

Em novembro de 1957, o primeiro voo da SAA partiu para Perth. Atualmente, nosso serviço Wallaby oferece uma conexão diária entre a Austrália e a África e foi expandido com nosso parceiro de codeshare, a Virgin Australia.

1960

A South African Airways da década de 1960 estendeu sua insígnia laranja da cauda a toda sua frota.

Em março de 1967, nosso serviço Wallaby tornou-se o primeiro serviço a jato entre a África do Sul e a Austrália.

Em 1968, fizemos um voo inaugural de Joanesburgo para o Rio de Janeiro com um Boeing 707.

O ano financeiro de 1968/1969 foi o primeiro em que a SAA transportou mais de um milhão de passageiros.

1970

A década de 1970 saudou os recém-chegados: nosso primeiro Boeing 747B, ZS-SAN "Lebombo" e o Airbus "Blesbok". Ao mesmo tempo, procuramos melhorar o crescimento do nosso tráfego em destinos nacionais e regionais adquirindo 12 Boeing 737s, três Boeing 747SPs e quatro Airbus A300s.

Em 23 de março de 1976, um Boeing 747SP (special performance) da SAA estabeleceu um recorde de voo comercial sem escalas mais longo ao voar de Seattle para a Cidade do Cabo, uma distância de 16.560 km percorrida em 17 horas e 22 minutos.

Em 24 de abril de 1976, a South African Airways operou o primeiro voo comercial do mundo usando um Boeing 747SP. A aeronave voou no serviço Joanesburgo-Lisboa-Roma-Atenas.

Em 6 de janeiro de 1977, o Boeing 747SP fez seu primeiro voo agendado entre Joanesburgo e Sydney. O voo ofereceu entretenimento em áudio e filmes a bordo.

1980

Em abril de 1981, a South African Airways apresentou um serviço de três classes para um voo australiano: Blue Diamond First Class, Gold class para passageiros Business e Silver class para passageiros da Economy class.

Devido a sanções econômicas, os voos para Nova Iorque foram suspensos em novembro de 1986. Os EUA retiraram seus direitos de pouso na África do Sul. No ano seguinte, o governo australiano tomou a mesma medida contra a África do Sul.

1990

Pela primeira vez em 28 anos, os voos da SAA foram operados via Sudão e Egito. As sanções econômicas contra a África do Sul foram retiradas e os voos para Nova Iorque e Austrália foram retomados.

A bordo de voos domésticos, a SAA introduziu cumprimentos multilíngues em inglês, zulu, sotho e africâner. Em voos internacionais, os passageiros eram cumprimentados no idioma relevante do seu destino.

O programa de Treinamento de Pilotos Cadetes da SAA foi lançado para oferecer uma oportunidade a indivíduos desfavorecidos de se tornarem pilotos.

Em 24 de junho de 1995, um Boeing 747 da SAA comandado por Laurie Kay realizou um dos momentos mais memoráveis do esporte ao pilotar o avião sobre o Ellis Park antes da final da Copa do Mundo de Rúgbi. O feito foi descrito por um especialista em rúgbi como "Totalmente inesperado, brilhantemente executado, totalmente emocionante" e um lance que viverá para sempre.

Em 22 de março de 1997, a SAA revelou uma nova identidade corporativa com a cauda da aeronave projetada para refletir as cores da nova bandeira nacional da África do Sul: vermelho, azul, dourado, preto e verde. Mesmo depois de abandonar o logotipo da Gazela Voadora, a SAA mantém a palavra "springbok" (gazela) em seu sinal de chamada de rádio.

2000

A South African Airways embarcou em um amplo programa de renovação da frota e escolheu a Airbus como fornecedor. A companhia aérea fez um pedido de escalonamento de 41 novas aeronaves com preço de USD 3,5 bilhões - maior aquisição de jatos da África.

A SAA lançou um sistema de check-in on-line e um quiosque de autoatendimento, uma maneira mais simples, mais inteligente e mais rápida de os passageiros fazerem o check-in.

A SAA assinou um acordo de USD 200 milhões com a Rolls Royce para fornecer os nove A340-600s da companhia aérea motores Rolls Royce Trent 500.

Depois de uma ausência de mais de 40 anos, a África do Sul foi restabelecida como membro da Organização da Aviação Civil Internacional. Depois disso, tornamo-nos membros da Star Alliance em abril de 2006 e com essa parceria, houve a facilitação da viagem aérea mundial. Além disso, apresentamos duas aeronaves com a marca Star Alliance, um 737-800 e um Airbus A340-600, como parte dos requisitos da rede global.

Em 2005, a SAA tornou-se a primeira companhia aérea não saudita com permissão para voar para a Medina e transportar peregrinos muçulmanos para o Haj.

Em 29 de novembro de 2007, tivemos o orgulho de nos tornar a companhia aérea oficial da equipe de rúgbi sul-africana, os Springboks, como parte de um acordo de patrocínio entre a companhia aérea e o Rúgbi da África do Sul.